Com os Olhos em Bico!!

O Vietname, era uma surpresa a cada dia… mas havia um elemento comum, as pessoas! Eram simples, humildes, acolhedoras, simpáticas… de quem é muito fácil gostar!

Apesar de todo o sofrimento, com a guerra, conseguiram manter as suas tradições, a sua cultura, e… tudo tão diferente de nós.

Após o Brunch, deixamos o barco em Halong Bay para seguir em direcção ao aeroporto de Noi Bai. No aeroporto encontramos várias jovens portuguesas em férias.
Foi um voo curto em direcção a Da Nang, e depois seguimos de auto-carro até Hoi An – a cidade mais charmosa do Vietname!!

No caminho passamos por Halong Pearl Farm, onde foi demonstrado todo o processo de inseminação de núcleos de pérolas nas ostras, como são cultivadas, e depois a retirada da pérola com a ostra ainda viva. A pérola é então classificada quanto ao tamanho e pureza. No final há uma loja a vender colares, brincos, etc… As pérolas são de boa qualidade, mas os fios de prata e fechos ouvi dizer que não.

Aproveitamos para ver alguns campos de arroz no caminho, e visitar cemitérios familiares. Antigamente eram construídos no próprio terreno da família, normalmente junto aos campos de arroz. Tradição que está a entrar em desuso, devido a escassez de terrenos férteis.

Uma paragem permitiu que todos (menos eu, que não tomo café), pudessem experimentar o Weasel Coffee, um similar do Café Civeta, o cafézinho mais caro do mundo, que é produzido pela coleta de grãos nas fezes de um lindo animal chamado civeta, espécie de gato herbívora que adora se alimentar de grãos de café. Os grãos do Weasel Coffee são defecados por doninhas.

O bichinho seleciona os grãos antes de comer, mas apenas a polpa é digerida, e a semente passa intacta pelo sistema digestivo. Durante esse processo as bactérias e enzimas únicas do civeta/doninha fazem com que os grãos fiquem com um sabor especial descrito como “uma mistura de chocolate e suco de uva, menos ácido e amargo que os cafés comuns”. Os grãos são higienizados, tratados e torrados antes da comercialização.

Chegamos a Hoi An, e fiquei deslumbrada com o Hoi An Central Boutique Hotel & Spa. O Hotel era apaixonante, um charme… assim como toda a cidade!!

A cidade tem lanternas penduradas, nas ruas, nas lojas, e o hotel tinha várias lanternas coloridas penduradas nas árvores à volta da Piscina exterior!

Importante porto comercial durante séculos, a cidade de Hoi An mostra influências Chinesas e Japonesas, oriundas da sua ocupação anterior.

A ponte japonesa, que unia os dois bairros o Chinês e o Japonês, hoje é uma das atracções turísticas da cidade. Contém 2 esculturas, um cão e um macaco, porque a sua construção começou no Ano do Macaco e acabou no Ano do Cão.

A Old Town, desenvolve-se à volta do rio, é um Centro Histórico lindíssimo. A pequena cidade de Hoi An, foi declarada Património da Humanidade pela UNESCO em 1999. Está proibida a circulação de carros, apenas se pode andar a pé ou de bicicleta, mas podemos contar com os riquexós para voltar para o hotel.

A cidade é famosa pela qualidade dos seus alfaiates. A roupa e sapatos sob medida, às vezes podem ser levantados de um dia para o outro. Se quiser, leve já uma revista com o modelo que quer e negocie o preço, fica bem barato.

Mas o que encanta mesmo, são aquelas ruas cheias de lanternas coloridas, que a noite ficam acesas!! É de ficar com “os olhos em bico”!!

A cidade é um charme só, ruas e ruas cheias de flores, lanternas super coloridas, talvez por isso seja escolhida para as famosas fotos de casamento e ensaios pré-wedding.

No Centro encontra-se também Phuc Kien Assembly Hall, um templo Chinês, construído para a Deusa Thien Hau , a deusa do mar, que protege os barcos e marinheiros. As espirais de incenso penduradas no teto chamam a atenção.

Quanto mais caminhamos pelas ruelas, mais nos apaixonamos pela cidade.

Pode fazer passeios em Basket Boats, embarcação típica do Vietname, que os locais utilizam para pescar ou para o transporte.

Encontramos também uma loja de sedas e estupefacta, vi pela primeira vez o bicho-da-seda.

O Almoço no restaurante Nam Long. Fora da cidade, mas… lindo.

A tarde fomos até à praia. Ali encontramos um grande grupo de portugueses. O hotel tem um transfer gratuito, ou podes passear de bicicleta, que o hotel também disponibiliza gratuitamente.

A noite o rio Thu Bon enche-se de lanternas, com velas acesas dentro. Os vendedores ambulantes vendem cada uma a 1$.

A tradição diz que para atrair a sorte deves colocar a lanterna com a vela acesa nas águas do rio, para que sigam com a correnteza, e quanto mais longe forem… melhor!!

Rita Pinheiro

Olá!! Meu nome é Rita Pinheiro e vamos viajar juntos!! Acho importante que me conheças, para que possas confiar. Vivo em Braga, uma cidade no norte de Portugal. Sou casada, tenho 2 filhos e uma neta. Sou médica de família, e adoro viajar!!!

This Post Has 2 Comments

  1. Dá a sensação que também estou a viajar junto com você! 😀

    1. E que bom ê poder levar os amigos comigo!! ❤️❤️

Leave a Reply

Close Menu